domingo, 18 de janeiro de 2009

Todo dia é exatamente o mesmo

We don't dance, we don't drink, we don't fuck, we don't sing. We are the blank hearts. We don't dance, we don't drink, we don't fuck, we don't sing. We are the black hearts.
Há uma grande descontinuidade entre o ser sem significar e o significar sem ser. E se é algo que faz sentido, não há portador de tamanha lucidez para ter garantia disso. Eu sou a descontinuidade, quando tudo que eu queria era evitar o limite tendencioso que a vida me sugere. Ser, significar e viver.
Um jornal da semana passada se escora sobre o toldo ainda rasgado. Uma escova de dentes quase inutilizada, e um café que ja se esfriara com o tempo, a ponto de perder seu sabor e sua importância...
Sabe aqueles dias que tu acorda de ressaca?

Ouvindo: Jeff Buckley - Mojo Pin
Jeff Buckley - Grace

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

La conclusione di tutte le cose da a venire

Caros amigos, venho aqui dizer que a minha jornada de reclusão finalmente terminou. Foram dias de muita reflexão e aprendizado. Falei inumeras merdas. Dei asas à minha imaginação para que ela fluisse sem limites, sem precisar me questionar sobre a maneira de me expressar, errada ou não, eu cuspi tudo que minha mente gritou durante anos.
Aprendi a me amar como nunca. Aprendi que as pessoas podem sentir minha falta, e que as vezes, estar lá quando elas precisam pode significar muito mais do que parece.
Deixei de lado qualquer conceito de aparência e superficialidade. Cada minuto meu, foi um segundo teu. Cada palavra lançada ao vento, cada gesto.
Reconstrui peça por peça meu manequim. Devolta ao campo, devolta à linha de frente. Pronto para ser atacado por todos novamente, sem medo. Eu mesmo duvidei que uma semana seria pouco tempo para que eu pudesse me recuperar, porém, foi algo "mágico".
Se ontem meu dia era de Tool, hoje, não tenho duvida que meu dia é de Coldplay. E "how long must you wait for it?". Pare de esperar, você tem tudo ao seu redor, use as ferramentas corretas. Mecha as engrenagens. Seja o frio do seu calor.
Encerrei minha experiência com um abraço, dela, o mais sincero de todos. Sei que o que eu fiz não foi certo, mas infelizmente foi apenas necessário. Também fiz pensando em você, e em como eu precisava de ouvir sua voz depois de tanto tempo. Entendo tudo que passou em sua cabeça, e agora eu estou preparado pra que você nunca sinta minha falta quando precisar de mim.
Virar-se ao avesso é algo arriscado. Encarar a verdade por trás das verdades pode ser doloroso. Pode ser lindo. Depende do quanto você quer isso. Conhece a ti próprio.
A experiência sempre será lembrada, e não terá sido em vão. A Experiência sempre esteve dentro de todos nós, só precisamos de um pouco de tempo e paciência para encontra-la.
A Experiência sou eu.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Quinto Punto: Scopata

Sexta-Feira (21/12): Quinto dia

Cinco dias trancado em casa, refletindo sobre tudo. E o que eu vejo? Uma foda. A vida é uma foda, vivemos pra foder, viemos ao mundo graças a uma foda, somos uns fodidos.
Pare de pensar na quinta geração, pare de pensar, esqueça! São máquinas. Fluido, motor e engrenagem. Coração inox. Somos todos máquinas, sempre trocando nossas peças por outras que nos torne mais fortes e resistentes contra as máquinas que estão ali, no campo, te observando, contando os passos para acabar com os seus braços e te deixar largado sem ter como interagir, triturar suas pernas e te deixar imóvel, para enfim, acertar em cheio o corpo e finalizar toda a angústia de ser apenas uma máquina na linha de frente, em uma guerra de viver.
Certa vez, escrevi uma música que falava o seguinte:

"Feche os olhos, abra a mente
O que se vê aqui, lá fora não é diferente.
Esqueça os sonhos, esqueça a dor
E seja o frio do seu calor."

Você é o único frio que seu calor pode ter. Nunca sinta-se mal por ser rejeitado, desvalorizado ou ignorado por tentar agradar alguém. Existe um universo dentro de você, e nele você é um Deus.

Senhoras e senhores, fodam, fodam bastante, por que a vida é foda.


Ps.: Sim, eu tenho jogado bastante Front Mission. E ouvido Tool, é óbvio! xD

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Punto di quarto: Domanda

Quinta-Feira (20/12): Quarto dia

Postar aqui ouvindo Tool ja se tornou uma lei. Não existe nada mais fortificante.
Meu penultimo dia de experiência foi bem triste. Não por mim, mas pela realidade, que eu ousei mais uma vez analizar.
Ja havia comentado com algumas pessoas sobre a relação entre o futebol e a religião. Se pararmos pra pensar, veremos o quanto as duas coisas são parecidas.
Desde que nasce, você tem que ter uma religião e um time. Todos nós fazemos isso (eu mesmo até pouco tempo me dizia flamenguista, e há alguns anos, cheguei a ser catequizado), mas poucos nos perguntamos o por que disso. Porque "tem que ser"? Porque "é"? Não, meu caro, isso vai contra todos os princípios da perseguida filosofia! Não é por que vivemos no país do futebol, no mais católico do mundo, nem por que temos a emissora televisiva mais manipuladora que eu vou aceitar a realidade imposta, só por ter sido o que eu ouvi desde criança.
Alguns tem a infelicidade de nascer em países onde o culto é obrigatório, como no caso do Islamismo. Outros tem motivos ainda maiores para serem ridicularizados: a acefalia, a preguiça, o medo e a hipocrisia. Nossa sociedade nos prepara para pagar o dizimo, os 10% do nosso suado, a camisa do time que custa uma bagatela de 100 reais (no mínimo!), a mensalidade do clube do coração, ingressos dos jogos, imagens de santos, enfim, uma infinidade de maneiras de ter seu dinheiro sugado por mentes perversas e manipuladoras, que enchem seus respectivos furingos de grana, enquanto os idiotas brigam, discutem, se matam, e fazem o caralho pelo seu time/religião.
Pensar nisso tudo me fez ver como a humanidade é fraca e ridícula, tenho sincera vergonha de fazer parte dela. E tudo que posso fazer é venerar a sabia frase do Maximum The Hormone (Ah, humanidade idiota. Sim, humanidade idiota!)
Mudando totalmente de assunto, não existe nada mais revigorante que Tool. Com certeza tem sido peça chave na minha recuperação, e algo que tem me feito cada vez mais forte e confiante nos meus planos.

Ps.: Antes que me julguem mal, não tenho nada contra a crença em um ser divino, enquanto a mesma não tiver nenhum objetivo financeiro/social. E quanto ao futebol, é um dos esportes mais lindos que existe, refletindo a coletividade e parceria entre os primatas, bem como contribui fodamente pro bem estar físico e mental de quem o pratica. Enquanto seu objetivo for o prazer pessoal, e não financeiro. Além disso eu to me fudendo se vocês me acham babaca ou não.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Terzo Punto: Creazione

Quarta-Feira (19/12): Terçeiro dia.

Acrodei tarde pra caramba, danem-se os horários! xD
Meu tio e irmã tiveram uma idéia absurda de fazer uma casa usando caixas de leite! Isso foi cômico demais pra que eu não fosse observar de perto, é claro.
Depois disso, finalmente concluí a famigerada música. Bonita e Sóbria. Me lembra várias coisas e nada ao mesmo tempo, mas acima de tudo representa a sinceridade, e reflete o vazio e inespressividade contidos em minh'alma.

Left out

Why’re you so away?

O que seria de mim se não houvesse amanhã?

Um bom motivo pra não respirar.

Quem vai saber isso tudo não passou de uma farsa?

Um grito pra você me notar

Olha, eu já cansei de ser assim

Me dê um tempo pra pensar um pouco em mim.

Olha, eu te quero tão bem

Mas te ter sem ter você

É algo que não se mais descrê-VER.

Left out, Left out

Why’re you so away?

Threw behind

Come and face myself.

Me olho em quatro paredes e o que vejo?

Um homem muito mais feliz

Ter que sorrir toda vez que ouve a minha voz

Não deve ser tão fácil assim

Eu vejo o que você não vê

Palavras que não tive intenção de cuspir

Agora, me sinto longe de enlouquecer

E perto de deixar de existir

Left out, Left out

Why’re you so away?

So fuckin’ away?


Sem duvida, o dia mais produtivo até agora, e o que mais me fez refletir sobre minhas ações...

Ouvindo - Tool (Discografia, pq é bom demais!)

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

secondo punto: salute

Terça-Feira (19/12): Segundo dia


Caros pais de família, torçam para que seus filhos nunca entrem para este blog. Pois o que tenho pra dizer é assustador. Minha experiência tem dado ótimos resultados! Tirando o fato de ter sido acordado pela empregada, meu dia foi maravilhoso! Dei uma saída apenas pra malhar, já que agora quem dita as regras sou eu, e se eu quiser ir malhar eu posso sim. Até por que é um lugar mágico, onde você desconta toda sua fúria em você mesmo, em seus músculos, transforma o ódio em dor, e em saúde, por que não?!
O mais legal foi a volta da academia, parei em frente a um lugar que vende sorvetes e afins, e gastei todo, eu disse todo? sim, TODO o meu dinheiro num puta "Milkshake Zangief Monster Double Nelson Freakstyle Air Wendell LOL". E pensando bem, alguem sofre por isso? Não, que se foda! Tenho uma semana pra ser capitalista e mandar todo mundo se foder, então que seja em grande estilo! xD
Agora eu sou o protagonista de toda a realidade, sinto até o Sol girando ao meu redor. magnífico!
Continuo me comunicando com poucas 4 pessoas, sempre com o status offline, não quero que me vejam, quero minha paz autista por uma semana, e quem dita as regras desse jogo ainda sou eu.
Estou terminando a musica com ajuda dessas pessoas. Ela está ficando cada vez mais depressiva e gritante. Esse grito é meu, sem duvidas. Um grito de dácadas, e que eu espero não precisar de outro por um bom tempo.